sábado, 5 de fevereiro de 2011

Entrevista com o vampiro- Filme

Ultimamente anda se falando muito de vampiros, mas os bonzinhos, que se apaixonam por uma humana, e não gostam de matar e blablaba. Mas hoje vou falar de um vampiro mal, que gosta de beber sangue humano e se divertir com sua comida. Lestat, esse é o seu nome. Onde ele está? Em "Entrevista com o vampiro". Mas hoje vou falar da adaptação para o cinema, já que ainda não tive a oportunidade de ler o livro de Anne Rice

O filme é maravilhoso, mesmo não tendo nada de romance, mas sim suspense. Começa com Louis (um vampiro) sendo entrevistado por  um jornalista e contando sua historia. Foi mordido em 1776 , por Lestat, no inicio não gostava muito de sangue humano, mas teve que comer por necessidade. Os dos necessitavam de uma companhia, e Lestat acabou mordendo Claúdia, uma criança doente por causa da Peste. Os séculos foram passando, houve brigas com Lestat, com Cláudia, com outros vampiros. O mundo mudou, o cinema surgiu e ele pode mais uma vez ver o por do sol Mas agora ele está sozinho, solitário.

Adorei o filme, com todas as minhas forças, e não vejo a hora de ler o livro, e nem os outros 10 livros escritos pela autora envolvendo a trama. Mas se você ainda não está convencido de ver o filme, vou te dar algumas razoes para isso

1- Interpretando Louis, temos ninguém menos que Brad Pitt. Já Tom Cruise é Lestat e temos até Antonio Banderas como Armand. é ou não um sacrifício ver o filme?

2- É bom as vezes esquecer um pouco dos atuais vampiros. É  legal vê-los puxando sangue, transformando os outros, sendo maus.

3- A história é muito boa e o final melhor ainda. A trama prende e o filme não cansa. é uma boa alternativa para se entreter.

Mas uma coisa me decepcionou, mas não o filme, é uma coisa que percebi nele. Ele tem muitas semelhanças com "Crepúsculo". Muitas mesmo. Uma delas é que Louise não queria sugar sangue humanos, então foi comer ratos, mas não dava a mesma energia nem tinha o mesmo gosto. Tudo bem, pensei, pode ser uma conhecidência. Mas vieram mais. Os vampiros possuíam alguns dons, entre eles ler pensamentos, não se podia criar vampiros criança, etc. Não sei se Stephenie Meyer pegou algumas ideias, ou se isso ta na mente de todas as escritoras, mas que é esquisito é.

Creio que muitos já tinha visto o filme, já que é de 1994. Quem não viu, veja, e preste atenção na ultima musica "Sympathy for the devil", Guns N" Roses, e procure sua tradução. Sensacional!


2 comentários:

  1. bom esses dons que vc mencionou ja fazem parte dessa lenda a algum tempo,passada de geraçoes em geraçoe.. esses dons mudam de acordo com a cultura e tal... mas se vc pesquisar melhor,vc achará algo sobre isso^^ eu ameii teu blog^^ kk bjs

    ResponderExcluir
  2. As semelhanças sao evidentes, claro, afinal S. Meyer se baseou na obra de Anne Rice. Leia o livro, pois aí sim vc verá que nao há como comparar uma escritora a outra, Anne Rice é infinitamente superior. Leia as cronicas vampirescas toda, principalmente O Vampiro Armand, O Vampiro Lestat e Sangue e Ouro, para mim sao os 3 melhores livros

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails